domingo, 4 de outubro de 2015

MONTADOS EM PELO





Olho sua excitação, interessada,
Volume que já não cabe na mão
E que os olhos represam
Roço seu corpo descuidada
Encosto, quero ficar...
Percorro minha mão no vão de suas pernas
E deixo ficar sobre o volume incontrolado
Sinto a pulsação, a umidez e a vontade de ir alem
Num instante somos pele e pelos
Mãos valsando em rodopios incessantes,
Movimento ritmado, curioso, safado
Dedos que se deixam entrar em vãos e dobras
Se enroscam e desenroscam no suspirar,
Respiração que a tudo delata
Queremos mais e mais
Línguas, salivares,
Desejo dos olhos, das mãos, do corpo,
Libido inflamada
Química perfeita que desce o céu
Impossível não querer mais
Impossível não ir além
Quero tudo, quero todo,
Ofego, transpiro, molhada,
Quero todos os teus movimentos,
Mas, quero mais movimentar-me sobre você,
Quero teus pelos brilhando de mim,
Corpos queimando, ardendo, suplicando
Prazer em estado de êxtase,
Loucura instalada,
Tesão encarnado,
As mãos procuram, os olhos buscam,
Os prazeres se entregam e misturam, voluptuosos,
A noite é curta,
O dia é breve,
Quero a vida montados em pelo, em nós...

Vera Celms
Licença Creative Commons
MONTADOS EM PELO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário