quarta-feira, 8 de julho de 2015

SWING AS ESCURAS



Passou por mim,
Escuro ainda,
Lambeu meus lábios com suavidade,
Beijou-me o pescoço,
Acariciou meus seios
E aquele cheiro, não havia em outro
A fêmea extasiada,
jamais esquece o macho que lhe deu prazer
Frêmito momento,
seria alegria ou cólera,
prazer, ou paixão,
Naquele instante, não haviam mais joelhos que me firmassem,
Nem pernas que me erguessem,
Tudo era aflição, estremecimento, emoção,
Naquele momento, tudo era só tesão,
Abri meus braços, entregue,
Permiti aproximação, invasão,
Instante tão íntimo, 
Abertura delgada, tão lisa, aberta sulcada,
Olor contagiante,
Devoro-te então em pleno êxtase,
Em pleno voo, levitação,
Cegos de prazer,
Transcendência única,
Ir e voltar sem sair do lugar,
E permanecer ali,
Era ele, apesar da escuridão,
Quiçá um dia, conhecer seu rosto...

Vera Celms

Licença Creative Commons
SWING AS ESCURAS de Vera Celms está licenciado com uma Licença 
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário