domingo, 5 de julho de 2015

NUDEZ PROIBIDA







A nudez aqui é proibida, pra não burlar a ousadia,
Um vão, uma fresta
Uma mão, uma festa
Improba mão boba
Nada é mais derrocador, que um julgamento tendencioso,
ou precipitado, ou errado
Entregue-se ao pecado
A língua e o tato, são só antenas aferidoras,
Sempre soube do teu gosto, do teu toque, da tua pele,
Tua temperatura, é onde eu fervo
E teu corpo, é onde me acho, sempre que extasio,
Como me negar a ti, se já me tens?
Sempre fui tua, ainda que nem eu soubesse,
Não digo que me guardei,
Não digo que a outro jamais me entreguei,
Mas, hoje eu sei, que era por ti que buscava
Mantenha agora, teu olhar sobre mim,
Desfilarei fogosa,
E estarei pra sempre no  teu leito, no teu deleite,
Agora que descobri, que é sob teu prazer que o meu grita,
Que meu gemido só é involuntário nos teus movimentos,
E que meu corpo só arde, sob o teu...
Te quero, te provoco,
Te ofereço meu gosto, meu cheiro,
A visão do meu ponto excitado
E te enlouqueço...

Vera Celms
Licença Creative Commons
NUDEZ PROIBIDA de Vera Celms está licenciado com uma Licença 
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



Nenhum comentário:

Postar um comentário