domingo, 12 de abril de 2015

ENTRINCHEIRADOS



Nosso amor é de trincheira,
Falas comigo de teu porto seguro,
Das quatro paredes do teu lar,
Tão perfeito...
Onde há quem diz te amar, e não te vê,
Onde há quem cuida das tuas coisas, e não te vê,
Onde há quem se preocupa contigo, e não te vê,
A rotina: denso e frio nevoeiro, a isolá-los,
Andas só,
E durante o frio, é meu o mel que procuras...
Sou eu que povoo teu sonho
Sou eu que alimento tua fantasia,
É meu, o beijo que relembra,
É o meu corpo que desejas em tremores e arrepios,
Vem, que te quero todo meu...

Vera Celms

Licença Creative Commons
ENTRINCHEIRADOS de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário