segunda-feira, 23 de março de 2015

COBIÇADO



É fácil querer-te,
Olhar-te impassível, impossível,
Olhar sedutor, desejo travado,
Rubra boca, língua que impõe,
Olha-me com faro de lobo,
Sente meu cio de loba,
Deixe que te queira oculto
Permita-me imaginar o que não vejo
Deixa que teu desejo tenha o tamanho que eu quiser,
A espessura que eu desejo
O alcance que eu preciso,
Deixa que imagine teu braço forte,
Teus pelos acarinhando a maciez dos meus seios
Deixa que eu relacione, com eles, minha alva pele
Entrego-me toda, sabendo que não o terei
A  opção é minha... e a melhor fantasia também; você,
Escondido sob minha resistência,
Deixa que imagine o feito, pelo movimento de teu ombro,
Deixa que te tenha assim, no tempo meu,
Na minha cama, no meu caminho; transgressora,
Posso ver a malicia do seu sorriso, ao ler-me,
Sabe que essa confissão, é pra você,
Queira-me... cobice-me... fantasie...
Pense que depois desta, varias inspirações virão de você,
E quanto mais insistir, sorridente, me esconderei...

Vera Celms

Licença Creative Commons
COBIÇADO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário