domingo, 15 de junho de 2014

SEM PERDÃO





Caminhava ela,
Como se o caminho fosse rarefeito
Como se a caminhada fosse leve
Como se o passo pudesse desfazer-se
Duas pequenas pétalas,
Deslizando sobre nuvens,
Como se meu juízo fosse esteira,
Fosse invisível, fosse etéreo,
Como se meus olhares fossem táteis
Fossem imãs, fossem meus...
Sou eu, mero observador,
E teus pés, a redenção,
Sou pecador, sem perdão...

Vera Celms
Licença Creative Commons
SEM PERDÃO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário