sábado, 28 de junho de 2014

ABERTA AO ACASO





O acaso te colocou diante de mim,
Ainda reticente, insegura,
Olho evasiva,
Diante de teus olhos incrédulos,
Deixo escapar uma fresta da minha intimidade,
Sob a saia, distraída,
Noto a manifestação do seu querer,
A mão não oculta,
Os olhos não enganam mais...
Faiscantes, brilham,
Procurando o descuido,
Como um lobo faminto, espiando a caça,
Vejo-te salivar,
Buscando mais e mais...
O corpo projetado a frente,
As pernas entreabertas, inquietas e nervosas,
Denunciam que o bote está próximo,
Não vejo a hora de ver-te perder o controle,
O juízo, e o rumo...
Vou manter distancia segura
Entre a tentação e a loucura
Mostra pra mim,
Que sob sua pele, seu sangue me quer,
Que sob suas pálpebras semicerradas,
há a minha provocante imagem...
Que sob a sua roupa, a túmida loucura se avoluma,
Sinalizando que qualquer ponto será lugar,
Que toda palavra é um sussurrar,
Deliciosas ofensas,
Fendas, rendas
e a sedução, tatuada na pele,
Olores agridoces, tão próprios, inconfundíveis,
Penetrantes,
Dedos, esbarrados em prazer, brilham,
E no momento seguinte, confundem-se com a saliva,
Lábios docemente aromatizados,
Se juntam aos seus,
Que brilham, como os dedos,
Participantes de um mesmo libidinoso beijo,
Aberta de prazer...

Vera Celms
Licença Creative Commons
ABERTA AO ACASO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 22 de junho de 2014

FLAMULANTE






Excitada e feliz,
Oferece-me teu colo,
Saliente, provocante, efervescente,
Esbarra-te em mim,
Deixa eu sentir teu interesse,
Deixa eu te mostrar,
A destreza de movimentos imprecisos,
A ansiedade, a inquietude,
Deixa eu te mostrar minha nudez escondida,
Sob as saias, sob a mesa, sob teu olhar,
Sinta como te posso fazer feliz,
Esbarra-te em mim,
Encosta, fica...
Mova-se imprecisa e descompassadamente,
Cutuca-me com teu desejo em riste,
Faça-me criar imagens e desejar coisas,
Faça-me inventar palavras,
Sussurrar imoralidades,
Faça-me tua prenda,
Bolina minhas intenções,
até que se debrucem diante de ti...
expostas, arrepiadas, libidinosas,
Faz de mim, tua fêmea,
E te buscarei no cio,
Pronta, lubrificada, escandalosa,
E gemerei, gritarei ao mundo,
E será meu corpo, bandeira flamulando de prazer...

Vera Celms
Licença Creative Commons
FLAMULANTE de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 15 de junho de 2014

SEM PERDÃO





Caminhava ela,
Como se o caminho fosse rarefeito
Como se a caminhada fosse leve
Como se o passo pudesse desfazer-se
Duas pequenas pétalas,
Deslizando sobre nuvens,
Como se meu juízo fosse esteira,
Fosse invisível, fosse etéreo,
Como se meus olhares fossem táteis
Fossem imãs, fossem meus...
Sou eu, mero observador,
E teus pés, a redenção,
Sou pecador, sem perdão...

Vera Celms
Licença Creative Commons
SEM PERDÃO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 8 de junho de 2014

DO SEGREDO A COXA





A  imaginação ebule,
E a criatividade floresce,
Vem a necessidade do toque,
Do contato, da presença,
Lúdico excitado momento,
Preciso que chame meu nome,
Peça de mim, cada movimento,
Traduza em palavras seu desejo,
Dispo-me de todo tecido,
Lycra, rendas, cores,
Mostro-me em detalhes,
Pelo, pele, mucosa,
Abro-me, pra teu desespero:  tão gostosa...
Entrego-me  lasciva,
Muco, lagrima,saliva,
Minha boca perde-se no seu beijo
E minha libido no seu desejo,
Provoco-te,  exibo-me,
Ofereço-me,
Improba posição,
Despudorada, trêmula de tesão,
Deslizante, do segredo a coxa,
A mão executa o comando da excitação,
E percorre entre as pernas, todo o vão...,
Estremeço de prazer, em quase convulsão...

Vera Celms
Licença Creative Commons
DO SEGREDO A COXA de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 1 de junho de 2014

MOMENTO FELIZ DO TEU DIA





Ontem te vi pela primeira vez, imagem virtual,
Palavras comedidas,
Olhar interessado,
Contrastes tão visíveis, evidentes,
Máscula postura do cavalheiro,
Reconheci em você, uma imagem minha,
Cuja idade não se revela, sem precisar,
Antiga história, a mesma sensação,
Desejo que brota de repente,
De conhecer sua vida,
De querer que sua vontade, burle suas próprias regras
Introduza-me aos poucos,
Em flashes de pensamento,
Em fantasias e desejos,
Queira-me em segredo,
Sonhe, acorde excitado,
Acaricie os cabelos da sua realidade,
Volte a dormir e a sonhar,
Leve-me até o fim,
Gemerei aos seus ouvidos no seu gozo,
Te chamarei de meu,
Pelo nome, em pequenas ofensas,
Lindas ofensas, tão nossas,
Ainda tão novas,
Inventaremos outras,
Te seguirei por todo o dia,
Aderida ao seu pensamento,
A sua túmida imaginação,
Queira-me, momento feliz do teu dia,
E me encontrará sorrindo,
Com os olhos, com o corpo,
Enquanto minha boca te beijará,
Acariciando, lambendo, sugando seu corpo,
Toda sua, toda nua,
Suplicante, buscando você...

Vera Celms
Licença Creative Commons
MOMENTO FELIZ DO TEU DIA de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.