domingo, 9 de março de 2014

O QUANTO ME QUISER





Em cada milímetro do meu corpo
Reside meu desejo por você
Um fogo que não se oculta
Uma chama que arde
Que me enlouquece
Incendiada, penso nos seus braços,
Embriagada, penso-me enlaçada em tuas pernas,
Teus pelos e pele,  brilhando de mim
Teus olhos semicerrados, declaram êxtase
Enquanto tuas mãos me apertam,
Na intensidade do teu tesão,
Teus dedos são mil tentáculos
Aderentes, ágeis e insistentes,
Persistem, até que meu gemido se faça ouvir
Escapando da cadência ritmada,
Para o delírio estrondoso e descompassado
Quero esconder você, pelo filtro dos meus olhos,
Pela envergadura do meu abraço,
Pela disponibilidade das minhas ancas,
Bem no meio das minhas coxas...
Fitando-me bem dentro dos olhos,
Provocando, teimando,
Fazendo-me queimar...
Me fazendo perder o centro,
O rumo e a direção,
Guarda-me nas tuas retinas,
No olor acumulado em tuas mãos,
Na lembrança excitada mais imediata,
E grita meu nome, no teu gozo...
Que serei tua...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O QUANTO ME QUISER de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário