domingo, 23 de fevereiro de 2014

LEVITANDO DE NOVO






Tuas palavras voltaram a tocar meu ouvido,
Como a safada língua que, de você,
tanto me provocou,
Senti o dorso arrepiar,
à  insistência do seu polegar,
A mão sob a saia, se inquietar,
Entre minhas coxas, só quis você,
Apontando pontiagudo prazer...
Minha resistência, tentou relutar,
E no momento seguinte, te desejava,
No mesmo lugar,
de onde outrora saiu (sem permissão...)
Inegável loucura,
Imensurável saudade,
Enlouquecido desejo,
E te quis; fêmina menina,
Com teu prazer sob minha língua,
E teus olhos no meu olhar,
Impossível esconder intenções,
Quando quem fala é a pele,
Quando o sorriso, é azul brilhante...
Pronunciei teu nome,
Só pra mim,
Pedi sussurrado,
que cobrisse meu tesão inundado, 
com o seu duro inflexível querer,
Que protegesse meu instinto,
Com seu insaciável olhar faminto,
Quero reconhecer meu gosto em teu beijo,
E confundir meus sentidos todos,
Trêmula, lânguida, sôfrega,
Ofegante...
Palpitando em cada poro,
Oferecendo cada foco,
Quero me abrir, me mostrar,
E deixar você me abusar...
Quero te beijar,
Quero que sugue de mim, toda malícia,
E se lambuze da minha lascívia,
Quero dar pra você...
O que mais te atiçar,
Quero você, todinho em mim....

Vera Celms
Licença Creative Commons
LEVITANDO DE NOVO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário