domingo, 26 de janeiro de 2014

FOGO ALTO





Nua sob o negro hobby de seda transparente,
Minha silhueta se deixava ver
Enquanto a intimidade escapa pela abertura mal amarrada
Excitação no corpo ainda úmido do banho
O perfume do sabonete no corpo,
Confundindo-se com o dos cabelos molhados
Inquietação, ansiedade,
Divido a inquietude entre o relógio e a janela do quarto
Entre o fogão e o computador
Cada barulho de motor chama-me a atenção
Espero a sua chegada, como se fosse a primeira vez,
Respiração pesada, ofegante,
Sinto-me adolescer
Acalorada, abro o roupão,
Sentindo no corpo,
o vento que atravessa a casa,
pelas janelas abertas,
Atravessam meu corpo, pelo vão das pernas,
Pelos cabelos molhados,
Pelas mãos suadas e inquietas
Difícil controlar a excitação,
Os dedos percorrem absortos cada sensação mais forte
Paro diante da porta entreaberta
Perdendo em mim, os dedos tão interessados
Permitindo que o exterior da casa, partilhe da visão
Impossível resistir, impossível não atiçar,
Fogo que já se faz alto, forte, vigoroso,
Precisa chegar agora,
Para que te receba, em pleno gozo,
Com as mãos úmidas e corpo em chamas,
Só pra você...

Vera Celms
Licença Creative Commons
FOGO ALTO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário