quinta-feira, 17 de outubro de 2013

TUA SEDE, MINHAS AGUAS





Vem, mata tua sede
Minhas águas te esperam,
na ânsia de afogar-te
de prazer e de desejos
na volúpia da sede
Vem, refaça-se em mim
Mato a tua sede, te alimento
e nutro tua libido com a  minha
Vem, que sou tua,
desde ontem
até,muito além de amanhã...

VERA CELMS
Licença Creative Commons
O trabalho TUA SEDE, MINHAS AGUAS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário