segunda-feira, 28 de outubro de 2013

SALIVANDO EM MIM






Sinto seu olhar,
Escondido, na madrugada
Meu cio atiça você
Tenho a temperatura exata
A fantasia perfeita
Nada te mostro,
Deixo por conta da sua imaginação
Alça preta sobre pele alva
Só um artefato,
Só um ombro sob um lingerie,
E num instante,
Com as palavras sutilmente colocadas
Você é um lobo faminto,
Salivando em mim
Olhar curioso
Por mais um centímetro de mim
Sinto-te ofegar,
Sinto tua pulsação descompassada
Sei que me quer,
Sei o quanto me quer
Madures que fascina
Desconhecido tão distante
Fartaria meus instintos em você
Provocaria todos os seus fetiches
Posaria íntima, diante de teus olhos,
Estupefatos olhares,
Nutridos por toda a vida
Ora, seria ingênua menina,
ou, exposta ninfeta, tão distraída
Mulher, de opulentas partes
Amante de insaciável desejo e prazer
Fêmea transgressora fantasiosa
Sei que sente quem sou eu,
Sei que muito me quer, me deseja,
Sei que me vigia na madrugada
Uivando pra lua,
Em troco de amor...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho SALIVANDO EM MIM de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário