domingo, 15 de setembro de 2013

AOS POUCOS VOCÊ




Queria te querer devagar

Como os lobos que espreitam

Sem se deixar ver

Dizer dos sonhos

Dizer dos desejos

Como a tempestade que chega

Cobrindo a luz do sol

Queria sentir a proximidade do seu hálito

Suave e avassalador

Queria sentir o toque dos seus dedos

Como quem toca as asas de uma borboleta

Sem ferir...

Queria me sentir tua musa

A princesa que habitou seus sonhos

A vida inteira

E que se desmancha diante dos seus olhos

Sobre seus lençóis

Sem se esconder

Mas, queria que se aproximasse

Como quem conquista um sonho

Como quem investiga uma miragem

Como quem observa uma entidade

Capaz de se desintegrar dentro da sua boca

Num beijo apaixonado

E só então dando-se a conhecer,

A cada sabor,

O doce, o ácido, o picante,

Até fazer-te adormecer os sentidos todos

Entre espasmos e fluidos,

O corpo cansado,

sobre meu corpo extasiado...



Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho AOS POUCOS VOCÊ de Vera Celms foi licenciado com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário