domingo, 18 de agosto de 2013

NÃO DIGA NADA





Melhor não dizer nada...
Nada que não possa calar com um beijo
Apressado, na medida da saudade.
ou do desejo acumulado
Nada que não seja exatamente urgente,
ou estarrecedor, ou avassalador,
Melhor adiar todos os assuntos
Desmarcar todos os compromissos
Esquecer os relógios em casa,
Nem olhar pra trás,
Sei que nossos olhos, ou estarão fixos,
dentro dos nossos olhos,
ou estarão fechados,
para não perdermos nenhum momento
Impossível não sentir a reação do corpo
Em curtos espasmos
Onde a circulação passa a ser mais intensa,
rápida, e sensível,
Úmida pra mim, 
pra você saliente,
A minha mão delataria,
A sua, ainda que não quisesse, ocultaria,
Então, melhor não dizer nada,
Colha-me pela nuca e pela cintura,
Cole a sua boca na minha,
E deixe-me sentir a saliência do seu desejo todo,
Tirando-me o ar
Impedindo-me a palavra e a reação,
E me beija, como teria, a uma década
Desacumula-nos,
E ainda que eu relute ou recuse,
Cala-me, sufoca-me,
Morda-me se preciso for,
E eu me entrego...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NÃO DIGA NADA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

4 comentários:

  1. Olá,
    linda poesia escrita com sentimento "onde a circulação passa a ser mais intensa,rápida, e sensível."

    Adorei,

    ag

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, querido A.Gomes... venha sempre...beijos de VC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente que voltarei com todo o gosto, gosto desta musica de fundo que nos faz levitar.

      abraço

      ag

      Excluir
  3. Que bom que a seleção que escolhi, lhe agrada... volte sim... beijos de VC

    ResponderExcluir