domingo, 2 de junho de 2013

VENCIDOS PELO RELÓGIO





Te ouvi pedir meu corpo
Visão íntima excitada
Olhos brilhantes interessados
A mão desassossegada
E da sua boca: - quero você...
Quis dar-me inteira
Atravessar a tela, o Estado,
Pousar na sua cama
Enroscar-me em seus lençóis
Deixar-me capturar
Por seus braços em abraços
Pela curiosidade de suas mãos
Viagem tátil sem volta
Dedilhada e apalpada,
Mas, o relógio de repente parou
E o sonho descontinuou
Contive o desejo, apertando com a mão,
Úmido vértice feminino inflamado
Te esperando voltar...

Vera Celms

2 comentários: