domingo, 30 de junho de 2013

SEXUAL DESPACHO



O sangue corria quente,

Fervendo sob a pele afogueada,

Tive vontade de mostrar ao mundo

O que é somente teu, bem no fundo

Pensei em me expor

Sair a rua, por baixo da saia, nua

Sentar num bar, a perna descruzar

E deixar o povo olhar

Abrir a cortina, a janela, em pelo,

Mas, na rua de casa, achei mau apelo

Mostrar a rua, eu toda nua

Então apelei a tecnologia,

Fui eu então a uma sala virtual de orgia

Posicionei a câmera pescoço abaixo

E ali aticei o facho

E mostrei a todo macho,

Com quantas mãos se faz um sexual despacho...



Vera Celms



Nenhum comentário:

Postar um comentário