domingo, 10 de março de 2013

AMO-ME





Como pode morar comigo
Dentro da minha casa,
Dentro da minha imaginação
E não conhecer quem sou,
Por baixo das minhas casuais vestes
Por baixo da minha pele afogueada
Como pode imaginar, sem arder,
Condenar sem consentir
Como pode supor
Como pode encontrar-me nua no seu leito
Sem conceber desejo,
Libidinagem, volúpia,
Como pode condenar-me por amar-me só...
Como pode dividir, sem partilhar,
Como pode me querer só no seu quarto
Se te desejo pela casa toda
Como pode deixar-me tão só
Na noite insone, desejosa
Como pode vasculhar a madrugada sem mim
E imaginar que sem você não chego ao fim
Amo-me sim,
E te convido a entrar
No gozo desse imenso prazer
Quando adormeço nua, cansada
Pretendendo despertar nua, realizada,
Sonhando com lugares e fantasias,
Convido-te a ser feliz comigo,
Se mais feliz quiseres ser...
Busque minha nudez escondida
Safadamente sob as serias vestes,
Feche os olhos e flagre-me,
Atravessando nua,  os corredores da casa
Invadindo seus pensamentos,
Entre o quarto e o banheiro,
Entre o banheiro e a cozinha,
Entre e fique a vontade,
Tome-me no colo
E deite-me aonde estiver,
Ama-me, liberte-me, transcenda-me,
Amanheça-me, ainda que tenha acabado de anoitecer...
Sorrindo...
... satisfeita...


Vera Celms

2 comentários:

  1. uau... amei e vou roubar...digamos que é tudo que eu gostaria de dizer pra uma determinada pessoa... bjos

    ResponderExcluir
  2. Cau Lanza!!! que prazer estar aqui comigo!!! fique a vontade, compus de acordo com a narrativa de uma novamiga... então, não é elucubração é verdade ... que bom que lhe serve... fico tão feliz!!! beijos de VC, e obrigado por este prazer

    ResponderExcluir