domingo, 24 de fevereiro de 2013

CONSENTIDA





Convido-te sem sentir
Meus olhos brilham
Tão interessados quanto felizes
Tua imagem, uma miragem,
Te receberia de todo jeito
Abriria a porta pra você
Vestida de festa
Ou de calcinhas
Não pelo traje
Mas pelo ligeiro do gesto
Não haveria como mudar de pensamento
Muito menos de rumo
Ou de roupas
Vem, reconhece em mim
Aquela que sempre procurou
Por todos os atalhos
Colhe minha excitação
Fruta madura
Leva tua mão
E traz contigo,
Me leva pra onde for
Como for
Para o que for
E eu vou...
Silente,
Enrubescida,
E não menos consentida
Colher o que plantei em ti

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho CONSENTIDA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário