domingo, 27 de janeiro de 2013

O HOMEM NU





Sentia-me acuada,
Escuridão completa,
No chão, só refletida indireta,
a luz da lua
Lugar desconhecido
Medo do incerto
Perfume amadeirado no ar,
Ouvia, além da minha,
uma respiração compassada,
Forte e ofegante,
O hálito doce e quente, tão próximo,
E uma insinuante voz grave,
a sussurrar inaudíveis palavras
Tatear era a única forma de conhecer o cenário
Certa de estar perdida
No escuro total
Diante de um homem,
agora revelado nu
Não havia como tatear
Sem esbarrar nas pontiagudas intenções
Esquivar-me ou entregar-me?
Tudo agora dependia do mesmo tempo
Que a tudo assistia,
 já urgente...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho O HOMEM NU de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 20 de janeiro de 2013

TEMPERADA EM MELANINA





Penso em você
Brilham-me os olhos
Eriça-se minha pele
Meus pensamentos viajam livres
Minha curiosidade se acende
Quero sentir teu gosto
Quero o toque das suas mãos
Quero seus olhares mais sedutores
Seus fitares exploradores,
O oportunismo da minha imaginação,
nutre o seu desejo inflamado,
que voa livre, avolumado
Sua melanina tempera meu desassossego
E procuro, com a mão úmida, sem sucesso,
Cobrir a fechadura descuidada do meu cio,
Impossível recatar-me
Diante do seu pontiagudo velar
Seco os lábios
Cerro os olhos
Finjo-me dormente pra sentir teu roçar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho TEMPERADA EM MELANINA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 13 de janeiro de 2013

DELITUOSA DE MIM





Procurei teu pulso
Quis esbarrar teus pelos
Tentei farejar teu cio
Minha voz voltou no eco
E meu desejo deitou-se em solidão
Agarrei-me ao meu ponto mais nervoso
Entregando-me a mim
Deleitando-me delituosa
Respirando, ofegando, perigosa,
E afinal, prostrada, gostosa...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DELITUOSA DE MIM de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 6 de janeiro de 2013

LASCIVO MENINO





Papo safado

Que faz a gente corar

Salivar,

Olhar em volta

Sentindo-se nu,

Desde sempre foi assim

Intimidade é mais

Desejo é mais

Ousadia é mais

A mão que passa rente a renda

Deixando aparente o arrepio da pele
Impossível não querer-te

Minha roupa úmida

não permite que eu negue

Entrego-me sem pudor,

a malícia lida em teus olhos

Atiçada pela imaginação

Fico inquieta,

Insinuante, provocativa,

Sedenta da tua boca...

Lascivo menino

Tocado pelo meu cio

Não resiste ao rastro

E vem voraz

Procurando, tocando,

Com mil mãos,

Com tantos olhos

Sem nenhum controle

Meus esconderijos

Que já tem teu nome,



Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho LASCIVO MENINO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.