domingo, 5 de agosto de 2012

O QUE AINDA NÃO VIU


Vestida em seda,
Largo decote,
Rendas, lycras e fendas
Finas meias de costuras aparentes
Justa roupa propositalmente desabotoada
Lânguida, espreguiçante em alvo cetim
Aromas herbais, perfumes amadeirados,
Visito teu ardor
Pulverizo tua imaginação com pitadas de mim
Pequenas lembranças
Momentos únicos
Lascivas pequenas ofensas,
Doces mau faladas palavras
E no momento seguinte
Vejo-te salivar diante dos meus olhos
Teu olhar úmido, rubor dilatado,
Nas faces e na roupa molhada
Indisfarçável vontade
Mãos inquietas não disfarçam
Nem que queiram, o que meu olhar procura
Ávida, tonta, libidinosa
Sem nenhum pudor,
Sem nenhuma vergonha,
Sem vontade de recuar
Nem de me esconder
Quero que me veja assim:
Desperta, excitada, ansiosa,
Atiçando com a mão
O que ainda não te mostrei...
Então vem,

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho O QUE AINDA NÃO VIU de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário