segunda-feira, 16 de abril de 2012

IMPREVISTO DE OUTONO


Ama-me devagar
Chegue sorrateiro
Deixe-me sentir sua proximidade
Pelo deslocamento do ar
Pelo calor no corpo
Pelo pulsar do róseo botão
Permita-me sutileza
Magia, emoção
Sussurre no meu ouvido
Quero sentir seu hálito
Arrepie minha pele
Agite meu pensamento
Atice minha curiosa respiração
Faça meu corpo mover-se involuntário
Provoque-me sonhos e sensações
Acorde minha saudade
Acerte meu relógio com seu suspiro
Preciso mensurar o momento
da sua chegada
da sua fervura
Até que eu descongele
É outono, afinal...
Mas depois, quero sentir seu pulso,
Me pegue forte... sempre


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho IMPREVISTO DE OUTONO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário