domingo, 8 de janeiro de 2012

RASTRO DO CIO

Se tivesse suas mãos
Perto do meu desejo
Deixaria você tocá-lo
Senti-lo túmido
Que de tão quente, úmido
Se meu telefone tocasse
E ao ouvido me dissesse
Pequenas imoralidades
Indecências irresistíveis
Me desmancharia, derreteria
Sinto seu querer distante
Sei quando comigo sonhas; ardo...
Sei o quanto me desejas
Sinto seus versos escorrerem
Entre flores e beijos virtuais
Mostra-se excitado e disponível
Vigília permanente
Buscando meu cio como rastro
que deixo, como pétalas, a marcar o caminho
Talvez jamais encontre o final da trilha
Talvez a interrompa aqui
E inicie outra, em lugar inóspito
Inédito, inesperado
Onde a imaginação floresça
E solta, livre cresça
E a libido aqueça
Mas só te encontro quando fecho os olhos
Imaginando que tudo isso é verdade,
Ao alcance somente das minhas mãos...


Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho RASTRO DO CIO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário