domingo, 30 de dezembro de 2012

MENINO LOBO



Noite madura,
Nasce a madrugada,
Encantada, sedutora,
Encantadora, a Deusa Lua,
Prateia a noite,
E traz no seu manto,
O silêncio,
Os ruídos da madrugada,
As sombras,
As intenções,
O cio,
Ao longe, solitário
O menino lobo,
Uiva chamando a fêmea,
Fareja, procura,
Espreita
Contempla a lua,
No alto de sua majestade,
E busca,
A pele, o pelo, o cheiro,
O brilho dos olhos,
O beijo, a dança, o faro,
O passo, o dengo,
Uivando pela noite afora,
Chamando, chamando,
Esperando o amor chegar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MENINO LOBO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 23 de dezembro de 2012

MARCA DE BATON




A marca do meu baton

Perdida, esquecida,

Descuidada, desinibida

Despudorada,

Largada e alastrada,

Em riscos e borrões,

Na sua pele, na sua roupa,

Se confundem, com as marcas

da falta da mansuetude da libido

enlouquecida, descontrolada,

Tomada de si mesma,

Formatada pela mesma boca,

que suporta o baton delator,

Tudo comedido, planejado,

Estrategicamente medido,

E num instante tudo perdido,

A paz, o comedimento, o juízo,

E lá está, como selo do descontrole,

Anunciando a todos,

Que a paixão ganhou mais uma vez

Um selo, um troféu, uma homenagem,

Estampada, sem nenhum pudor,

O carmim que minha boca enfeita,

Agora a reputação enfeia,

E a devassidão delineia,

Impossível reverter,

Difícil esconder,

É enfim a marca da margem,

O reconhecimento não de culpa,

Mas da rendição,

Da paixão, a redenção

Do tesão, a confissão,

Do enfrentamento, da pegação,

Da suscetibilidade,

Da vulnerabilidade,

Da libidinagem selvagem e lenitiva,

Impura, ingênua e inocente...



Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MARCA DE BATON de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 16 de dezembro de 2012

TATUADA



FOTO COLHIDA NA INTERNET

Tatuada em tua pele
Sinto-te o sutil relevo
Quando sopro entre teus pelos
Que prontos respondem em riste
Doce prontidão receptiva
Rápida excitação
Num só movimento
Lanço-me de lá pra cá
Escorregando nos recônditos penhascos de ti
Agarro-me em riste mastro
Afagando-te com a boca
Contando-te segredos urgentes

Vera Celms

domingo, 9 de dezembro de 2012

IMPASSÍVEL É IMPOSSÍVEL





Intuo a tua chegada
O corpo denunciado
Arrepiado, em riste, in loco,
A saliva tão abundante  
Confunde-se com excitados caldos
Imagens criadas pelo desejo
Situações criadas pela excitação
Condições criadas pela necessidade de você
Impossível não te querer tanto assim
Tremo, levito, transcendo,
Fervo e derreto,
Só de passar por você...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho IMPASSÍVEL É IMPOSSÍVEL de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 2 de dezembro de 2012

ÍNTIMA CELEBRAÇÃO





Dedilhe-me, tilinte-me

Pelo íntimo cálice,

Entregue; eu, toda tua

Poesia, gozos, comemorações

Voemos juntos entre versos

Entre os teus e os meus,

Minhas desnudas asas nos teus olhos

Excitados, acesos, molhados,

Frequentes arrepios,

Salivantes bocas, sedentas línguas,

Farejo teu cio

Ofereço-te o meu

Cadencio o passo diante dos teus olhos

Vendo-te crescer, avolumar-se rijo,

Transbordemo-nos impolutos

Celebremo-nos, então em nós,

Dentro, fundo, uno,

Pra sempre, por dentro, um só...



Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho ÍNTIMA CELEBRAÇÃO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.