domingo, 4 de dezembro de 2011

NÃO É ASSIM


Pousa teu olhar sobre meu colo
Alvo, macio e distante
É tudo que terá de mim
Enquanto você for só imagem
Sem calor, sem perfume, sem toque
Quero ver de você a essência,
Mostre, diante do monitor, sua alma
Conquiste minha vontade de mostrar-te mais
Conquiste o meu desejo por você
Não me cerques com volúpia
Nem com carentes confissões
Sempre que acuada, fugi
A passos largos ganhei distancia
E de mim não ficou lembrança
Não queira que te queira por tão pouco
Fantasias, faço-as sozinha
No lugar onde deixa as suas esquecidas ao acaso
Fabrico as minhas e distribuo
Não as regulo
Poderá ter meu corpo
Cada pedacinho excitado de mim
Volúpia, desejo, ardência e muita imaginação
Posso mostrar vãos, pensamentos libidinosos
Uma farta emoção, cheia de sensação
Desde que me ganhe,
Com talento e disposição,
Enquanto isso esperarei,
Pernas cruzadas,
Estrategicamente montadas,
Deixando-te curioso
Ávido e sozinho
Ainda não foi desta vez,
Não é assim que se conquista uma mulher...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NÃO É ASSIM de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário