domingo, 9 de outubro de 2011

SOBRE ZÍPERES, BOTÕES E PRETENSÕES

Entre o desejo e a mão
Vem a intenção
Acompanhada de imagens
Pensadas, idealizadas, sonhadas,
Cheia de planos,
Traçando estratégias
Criando, imaginando
Cenários, efeitos, respostas
Sequências e conseqüências
Texturas, sabores, olores,
Entre a intenção e o gesto
Vem a mão,
Nervosa, ansiosa, aflita
Capaz de desvendar os mistérios do mundo
Confiante, segura, ousada
Capaz de demover obstáculos
Entre a mão e o gesto
Vem o mundo todo
Zíperes, botões, fechos
Laços, lycras, rendas, apetrechos
Peças não descartáveis
Do jogo de sedução,
Cada uma a seu tempo,
Não retiradas, mas convencidas
Afastadas, abertas, esticadas,
Encolhidas, conquistadas, demovidas
Puxa-se, empurra-se, pressiona-se,
Faz-se subir, descer, apartar,
Peças de um jogo divertido
Tabuleiro conhecido
Peças irresistíveis e seus efeitos sonoros
Movimentos não pensados,
Regras não inventadas,
Sem convenções, nem adivinhações,
Provas incontestáveis e proximas
Que presentes assistem a tudo
Do embate a comemoração,
De que no jogo da sedução não há vitoria isolada...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra SOBRE ZÍPERES, BOTÕES E PRETENSÕES de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário