domingo, 25 de setembro de 2011

NÃO SE MOVA

Não se mova...
Sinta, somente sinta
Sinta a onda bater e subir
E tomar-te inteira
Feche os olhos
Preste atenção só no movimento
Dos meus dedos...
Respira e relaxa
Deixa essa sensação se espalhar
Sinta o calor do meu corpo roçando o seu
Se solta... se entrega...
Te beijando, vou buscar o seu suspiro,
Aquele que lhe quiser escapar
Distraído, involuntário,
Não se mova, deixe que eu te conduza
Bocas, línguas e mãos
Carícias plenas que ficarão em ti
Na pele, na lembrança, no desejo
Permite que explore, te visite, te invada
Mostra tua languidez ao meu olhar
E tua vontade ao meu dedilhar
Vou cobrir teu corpo todo
E cada esconderijo de ti
Com um toque,
Da língua, das minhas mais curiosas mãos
Interessada, excitada, extasiada,
Vou aprender como o teu corpo te dá prazer
E décor te conhecer
Vou guardar seu cheiro e seu gosto em mim
Pra depois do amor, continuar a delirar
Tateando você, vou descobrir o ponto do teu ofegar
E o lugar exato, onde os espasmos te fazem estremecer
Quero saber com quantos gemidos te faço transcender
Não se mova, deixe que o prazer te envolva
Te quero quase submissa,
Quase louca,
Suplicando mais um toque, já quase pelo avesso
Quero ver, pelas tuas pálpebras nervosas,
Teus olhos se moverem mansamente aflitos
Não se mova, devore meus beijos
E todo o mais eu farei,
Te resgato do infinito e te perco em mim
Pra nunca mais te perder,
E pra sempre em mim te encontrar,
E permanecer em você,
Te amando sempre...
Até enlouquecermos, ou despertarmos,
Mas agora, só não se mova

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra NÃO SE MOVA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário