domingo, 25 de setembro de 2011

NÃO SE MOVA

Não se mova...
Sinta, somente sinta
Sinta a onda bater e subir
E tomar-te inteira
Feche os olhos
Preste atenção só no movimento
Dos meus dedos...
Respira e relaxa
Deixa essa sensação se espalhar
Sinta o calor do meu corpo roçando o seu
Se solta... se entrega...
Te beijando, vou buscar o seu suspiro,
Aquele que lhe quiser escapar
Distraído, involuntário,
Não se mova, deixe que eu te conduza
Bocas, línguas e mãos
Carícias plenas que ficarão em ti
Na pele, na lembrança, no desejo
Permite que explore, te visite, te invada
Mostra tua languidez ao meu olhar
E tua vontade ao meu dedilhar
Vou cobrir teu corpo todo
E cada esconderijo de ti
Com um toque,
Da língua, das minhas mais curiosas mãos
Interessada, excitada, extasiada,
Vou aprender como o teu corpo te dá prazer
E décor te conhecer
Vou guardar seu cheiro e seu gosto em mim
Pra depois do amor, continuar a delirar
Tateando você, vou descobrir o ponto do teu ofegar
E o lugar exato, onde os espasmos te fazem estremecer
Quero saber com quantos gemidos te faço transcender
Não se mova, deixe que o prazer te envolva
Te quero quase submissa,
Quase louca,
Suplicando mais um toque, já quase pelo avesso
Quero ver, pelas tuas pálpebras nervosas,
Teus olhos se moverem mansamente aflitos
Não se mova, devore meus beijos
E todo o mais eu farei,
Te resgato do infinito e te perco em mim
Pra nunca mais te perder,
E pra sempre em mim te encontrar,
E permanecer em você,
Te amando sempre...
Até enlouquecermos, ou despertarmos,
Mas agora, só não se mova

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra NÃO SE MOVA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 18 de setembro de 2011

NUA, DO LADO DE FORA


Já me tiveste de varias formas
Primeiro teve meu sorriso
Arrebatado no primeiro beijo
Meu corpo, meus beijos todos,
Só pra você...
Olhares, ouvidos, pensamentos
Letras e fantasias
Me tiveste nua, nos teus braços
Em tantos lugares,
De varias formas,
Me esquecia de mim
pra pensar em você
Até que um dia,
Bateste a porta
E me esqueceste nua,
Do lado de fora...

Vera Celms

domingo, 11 de setembro de 2011

HAJA SONHO!


Teu amor, muito me ilumina
Sonho tão desperto que chega ao anoitecer
Pra meu incendiado amor te oferecer
Na noite, no sonho, no meio da madrugada
Insone levitar dançante, entrega ofegante
Amor, fogo tão delirante
Realiza-me, no gosto do teu beijo
Realiza-me, realizando o teu desejo
Entrego meu corpo, rendida as tuas mãos
A tua mais completa excitação
Teu corpo cobrindo meu corpo
E no teu abraço mais fogoso, envergo meu dorso
Em tão altaneiras chamas
Que incendiaria todas as camas,
se sentisses o meu tesão
A minha libidinosa sofreguidão
Te procurando no meu leito,
Chamando teu nome, uivando meu cio na noite escura
Meu desejo te chama, meu corpo te procura
Pra sempre vou te esperar, o tempo que demorar
Pois só a ti, inteira me entrego, e o meu prazer delego
Meu amor é pra sempre... e meu sonho: eternamente...

Vera Celms

domingo, 4 de setembro de 2011

FLOR ORVALHADA

foto colhida na INTERNET

Quando duas pétalas...
Entreabertas te esperam
Entre pulsações e espasmos
Úmidas, guardam da minha flor
o túmido avolumado botão
Que arde ainda mais com a imaginação
Querer-te e não te ter
Entregar-me em pensamento
Tocar por um momento
Louca devassidão
Estremeço, tremo, vibro, enlouqueço
Quero em mim, a sua mão
E as duas pétalas se abrirão
E teu rijo querer receberão
Como flor orvalhada
Que se abre na madrugada
Sem pudor e sem recato
Em delírio quase insensato
Abrindo a ti por inteiro...o coração...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra FLOR ORVALHADA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.