domingo, 28 de agosto de 2011

RESOLVIDA

Viver já é um tão frugal prazer
Porque a uma traição quereria sobreviver
Se podes viver diuturna entrega, a cada dia?
Amada amante, que o tem bem além da nostalgia
Cada poro ou pensamento de mim é paixão
A entrega me é pura e larga, muito mais que sedução,
Sinta-se livre para sonhar em qualquer leito ou lugar
Pois por mais que sonhe, é no meu corpo que vai acordar...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra RESOLVIDA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 21 de agosto de 2011

EXPLORAÇÃO CASUAL

Ah essas mãos,
Que me esperam vívidas, no caminho
Enganchadas ao passante do cinto,
Espiam, prontas ao gesto
São dois instrumentos a me enlouquecer
São, cada uma delas, um sinônimo de prazer
Aguardam a proximidade do meu cio
Buscando minha entrega afoita
Quando se espalham sobre meu corpo
São dois signos inquietos
Emplacáveis e perigosos
Quase inescrupulosos
Não medem esforços
Revezam daqui pra ali
Uma se perde na minha nuca
A outra, de lá pra cá, me cutuca
Alisam, esfregam, vasculham
Conhecem todos os atalhos
E a todos deixam molhados
Quentes, pulsantes, prontos
Num encontro casual,
é tanta a pegação,
que vou da permissão a súplica,
pedindo que fiquem... por todo lugar...
Meu olhar úmido, se prende no seu
Como numa corda a beira do precipício
Enquanto o corpo relaxa, passivo, a exploração

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra EXPLORAÇÃO CASUAL de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 14 de agosto de 2011

FUMAÇA DE CIGARRO

Atrás da fumaça do seu cigarro
Um mundo de [meu] encantamento
Como uma cortina transparente
Que deixa vazar a visão da silhueta desejada
Com ela brinca, fazendo bolhas
Bolas e aros que se desmancham
Como os sonhos que tenho acordada
Momento tão íntimo...
Entre você e a fumaça do seu cigarro,
Tratada como uma amiga brincalhona
Leve, constante e fugaz...
Depois do nosso amor,
É para ela que confidencia a satisfação
Vejo de longe, alheia a brincadeira
São momentos de eternidade
Cumplicidade inocente
Quase indolente
Pois enquanto ela sobe pelo seu olhar
E nos seus cabelos e pensamentos enrosca
Fico eu aqui, entretida, olhando contente
Como criança que se diverte,
olhando da janela, as outras a brincar...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra FUMAÇA DE CIGARRO de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.