domingo, 26 de junho de 2011

ARDENTE


Sinto a excitação arder em mim
O sangue parece aflito
Correndo nas veias
Causando aglomeração
Meu sexo queima
Fazendo com que toda a minha atenção
Se volte pra ele
Chega a incomodar
A forma como lateja
Como se tivesse o dobro de seu tamanho
E no entanto, é só a mim que incendeia
Procuro por todos os lados
Imagens que me inflamem ainda mais
Idéias que façam crescer essa volúpia
Sons que me transportem
Ao centro absoluto das fantasias
Mãos, pernas, membros,
Olhos e bocas e membros
Excitados, extasiantes
Interessados e instigantes
Lugares movimentados
Onde eu esteja ao alcance do toque
Acidental, casual, proposital
De mãos e de corpos
De suores, de sabores
Onde seja eu, excitada,
O centro de todas as atenções
Provocando, caçando, insinuando
Brincando com imagens e pensamentos
Com joguinhos safados
Com intenções claras
Lidas nos olhos, no gesto
No toque, no desfilar,
No convite insinuado
E na sugestão do corpo
Preparado no próprio gás
Quente, lascivo, fervente,
Prontinho pra se entregar

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra ARDENTE de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 19 de junho de 2011

ACORDADO...

Ele dormia,
ou fingia-se dormente
Inerte, imóvel
Passei a mão por seus cabelos
No seu rosto, no seu peito
E um suspiro antecedeu
sua mudança de posição,
renovando-lhe o ressonar preguiçoso
Meu corpo ardia de desejo
Nua, ajoelhada na cama
Olhava aquele corpo, também nu
Cheio de contornos tão intimamente conhecidos
Parei por um momento,
Observei de sua respiração o movimento
Curvei meu corpo em sua direção
Tocando-lhe o lábio com o mamilo túmido
Insistente e repetidas vezes
Ato reflexo, senti sua mão subir,
tocando-me ao acaso, o vão incandescente...
que úmido, abriu-se como pétalas
oferecendo-se a sua mão,
ao toque de seus dedos
Que de cor e ainda sonolentos
Tocaram o ponto certo sem errar,
arrancando-me um profundo suspiro...
Entregue, excitada e interessada
Busquei escalar suas coxas,
Entregando as minhas a escalação
E no momento seguinte
Encontrei você acordado, interessado
Excitado,
Gemendo no meu gemido
Contorcendo-se inquieto
Na minha boca, sob meu corpo eletrificado
Enlouquecido, aberto, excitado, molhado
Quase imobilizada por espasmos de suas pernas...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra ACORDADO... de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

SEXO DE VERDADE

Um ato que não se segura,
começado na rua,
efetivado na janela, a beira da rua.
O sexo é sexo,
na cama de alvos lençóis de cetim
na calçada, na janela, no muro
ou no mundo.
Ato que não se conta,
nem pela falta de paisagem,
nem pelo público, desligado ou extasiado,
nem pela falta do pagamento,
dinheiro amassado,
perdido pelo caminho, cuidado
fêmea que cuida do macho,
instintiva ou apaixonada
Por fim, a aliança de arame, de doce,
caída do bolso, simboliza o amor da margem
e descansa distraída sob a calcinha esquecida
ao pé do "vadio" poste de luz...
sem precisar de consentimento,
sem precisar de enredo.
A história que se faz
Ato que não se conta...
erótico,
SEXUAL...
sensual,
animal,
real
Sexo de verdade,
Cenário tão natural...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra SEXO DE VERDADE de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 5 de junho de 2011

DIVAGANTE




Como tocar a imagem?

Aquela que vejo com olhos semi-cerrados

Aquela que confundo

Entre a verdade e a imaginação

Aquela que meu desejo cria

Que faz meu corpo saliente

Inflamado, ensandecido e quente

Interessado e demente

Se esta imagem que vejo em sonhos

Freqüenta também meus delírios

Se é que transita nos dois mundos

Se sou eu um louco divagante

Minha excitação é contente

Quero então em sonhos te provocar

E desperto enlouquecer-te, pra sempre...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra DIVAGANTE de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.