domingo, 29 de maio de 2011

ACORDADO EM MIM


Acordei hoje e mais uma vez,
Com saudade de você
Impossível não pensar
Quando sobressaltada
Ainda me flagrei suspirando
Em espasmos involuntários
A pulsação ainda vibrante
Seu cheiro ainda podia sentir
O contato quente do seu corpo
Ainda estava em mim
O toque da sua mão
Deixara nos meus esconderijos
a certeza de que voltaria
Permaneci inerte
Tentei novamente adormecer
Mas inquieta não conseguia
Ardia de vontade,
Queimava de desejo
Procurava você com minha mão
Olhos fechados
Seu corpo ainda pesava sobre o meu
Sentindo você ainda tão dentro
Túmido
Extasiado, enlouquecido, forte
O gosto do seu beijo
O calor da sua boca molhada na minha
Ainda imobilizada pela força dos seus espasmos
Pelo vigor dos seus movimentos
Pelo querer estar e ficar em mim
Prendo-te com braços e pernas
Imobilizando você em mim
Na tentativa de perpetuar o momento
Levitando, flutuando, estremecendo
Enlouquecendo de prazer,
Êxtase, transcendência, demência
Molhada, morrendo de saudade
Acordei você em mim,
Mais uma vez

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra ACORDADO EM MIM de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 22 de maio de 2011

TRAVESSURA


Quero lhe fazer um convite
Primeiro feche os olhos
Vou contar até um...dois...três...
Entregue-se agora aos sonhos
Revele seus desejos
Deixe que a razão se perca
Embarque; deixe-se volitar, voar
Agora podemos ir
Além, muito além dos limites da fantasia
Quero te convidar a uma travessura,
Uma molecagem inocente,
Foge comigo, pula o muro do mundo,
Melhor se entregar...
Pois, quando voltar a realidade
Terá polidos olhar e sorriso
A alma leve e o corpo levitando
Massagearei, além de seu corpo, seu ego
Levarei você a conhecer o paraíso
E te mostrarei que felicidade,
é um lugar que existe,
e só eu saberei te contar
Transcender, fará parte da aventura
Conhecerá todas as estrelas pelo nome
Que sorrirão pra você de dentro dos seus olhos
Renda-se... vamos...
Entregue-se a um dia de total esquecimento
E te darei motivos para lembrar pela vida toda...
Sabes que falo a verdade...

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra TRAVESSURA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 15 de maio de 2011

NAS PEDRAS DO CAMINHO


Vou deixar nossa historia
Escrita nas rochas
Nas cavernas, nas grutas, nas pedreiras
No subsolo do mundo
Não posso falar de ti
Em qualquer lugar
Com qualquer pessoa
Posso rever-te em sonhos
Em pensamentos transgressores
Em momentos particulares, íntimos
Mas não posso ousar teu nome
És uma imagem minha
Que guardo como o meu segredo
E com o mesmo pulsar
És um holograma excitado diante de mim
E como tal irrevelável
Te encontro em sonhos
Nas madrugadas insones
Nas reflexões intensas, despretensiosas
Startando minha evolução fantasiosa
A limites inconseqüentes e imensuráveis
A altitudes inimagináveis
Com o coração a galope
E a alma em constante turbulência
Vou deixar escrito nas rochas
O quanto eu te amo
Desde ontem até sempre,
Comece a observar as pedras do caminho

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra NAS PEDRAS DO CAMINHO de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 8 de maio de 2011

SEDUZA-ME


Toca-me,
Devagar e com força,
Aposse-se das minhas fantasias
Trouxe-as todas pra você
Desabrocharam nas lembranças
Brotaram todas nos meus pensamentos
Trouxe também minha insegurança
Posso me enroscar nos botões
Na hora de me despir
Mas vou te olhar com volúpia intensa
Tímida, mas intensa
O desejo virá nos meus olhos
A excitação, você a encontrará
na minha respiração
nos movimentos do meu corpo
das minhas mãos
na minha voz e boca
Brincando no seu colo
Envolvida pelos seus braços
Inquieta vou te abraçar
Te alisar, me roçar,
Permitir suas caricias todas
E mesmo que minha boca titubeie
A resposta é sim
Com as mãos úmidas
Com os lábios sedentos
Com as pernas, já te convidarei
Peito transbordante
Basta que para isso, me seduza

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra SEDUZA-ME de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

domingo, 1 de maio de 2011

FEITO BOBA


O sangue tomou minhas faces
A pulsação fazia-me vibrar
como um tamborim
Eu ali não era mais talvez; era sim
Bastava te ver
E as pernas bambeavam
Já não mais me acompanhavam
Não sabia o que fazer com as mãos
A sudorese intensa
Umedecia meu corpo todo
Impossível disfarçar
Como não titubear?
Como não me entregar
Meus olhos brilhavam
Minhas pupilas se dilatavam
Meus lábios tremiam e se avermelhavam
Por mais que os tentasse conter
Apertava-os, um contra o outro,
Usava a língua pra amenizar
Mas, era involuntário
Inevitável...
Mal conseguia falar
Não conseguia dizer uma só palavra naturalmente
Gaguejava, emudecia
De alguma forma me constrangia diante de ti
Me embaraçava toda
Não conseguia andar normalmente
Meus passos se confundiam
Tinha medo de tropeçar
Me faltava o ar,
Zuniam meus ouvidos
Me sentia uma fã diante do ídolo
Atada, amarrada, confusa
E não queria transparecer
Sob pena de te perder
Queria fingir alguma indiferença
Deixá-lo quem sabe me notar
Quem sabe até comigo flertar
Mas, você devia sentir
Que não era insegurança
Afinal, não é mais criança
E sabe diferenciar insegurança de tesão.

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra FEITO BOBA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.