domingo, 24 de abril de 2011

MAMILOS




Doce toque,
Que sem intenção se faz presente
Ela passou simplesmente
E eu senti o contato rápido
Do mamilo eriçado,
Talvez, nem sentisse tanto
se não tivesse visto antes
Mas, aqueles bicos olhavam pra mim
De longe, flertavam inconscientes
E insistentes
Não me deixavam desviar o olhar
Eram dois pontos fixos
Que sobressaiam pela roupa
Me intrigando, me chamando
Era impossível não ver
Os montes que saltavam do decote
Levemente bronzeados
Em contraste com a renda branca
Que margeava seu lingerie
Foi tocando minha imaginação
Que crescia
Pouco a pouco
Como o volume já delator
Quando ela se levantou
E por trás de mim passou
Senti seu perfume tão fêmeo
Tomar meu desespero
O toque casual daqueles brinquedos
Deixou graduado o desejo
Por aqueles pequenos rochedos,
Revestidos de pele morena molhada
Nas minhas mãos
Abraçando meu rosto
Corado, safado e extasiado

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra MAMILOS de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário