domingo, 9 de janeiro de 2011

SONHO DE NÃO VOLTAR

quero inflar todos os seus sentidos

deixar seus nervos todos expostos

arrancar choques com fios descascados,

todos os seus fios desencaparam

perdeu o controle,

perdeu a noção da hora,

o vinco, a responsabilidade, o pudor,

desalinhou o cabelo,

meu baton já mora no seu colarinho,

seu pescoço avermelhado,

seus braços aflitos,

procuram a tudo alcançar

mais longe, mais fundo,

suas pernas escalam meus caminhos,

minhas alturas,

de prazer, de imaginação, de desejo,

corpos trêmulos e incontroláveis,

bocas que se desbravam,

loucas, insanas, devassas,

improbas, insaciáveis,

prazer enlouquecido,

entrega incondicional,

quero afinal, inflar todos os nossos sentidos

deixar os nossos nervos todos expostos

e sonhar,

sonhar como jamais ninguém sonhou,

um sonho de não voltar...


Vera Celms


Licença Creative Commons
A obra SONHO DE NÃO VOLTAR de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Vera:
    Hoje postei no Duelos o seu poema Convite à Sedução. Muito bom!
    Respondendo ao seu e-mail, devo dizer que você pode continuar deixando suas obras nos comentários, que eu as recebo por e-mail. Às vezes demoro para publicar, pois não estou com disponibilidade para postar todos os dias, como fazia anteriormente, mas pode deixar que tudo o que recebo será postado, ok?
    Valeu mesmo!
    Abração e ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Já que vi em seu blog a temática homossexualidade, aproveito a oportunidade para convidá-la a ler e comentar (caso queira) o post publicado hoje no Duelos "Duelando Manchetes XI: Homossexualidade - Artigo Enviado por S. Ribeiro", que propõe a abertura de um debate a respeito deste tema. Todos os comentários opinativos serão publicados.
    Sei que sua contribuição será valiosa.
    Valeu!
    Abração!

    ResponderExcluir