domingo, 24 de outubro de 2010

SENTINDO SEU CHEIRO


Venho de outros mundos,

Onde os rumos são outros,

Onde os destinos vêm traçados,

Onde a sorte é lançada,

ao vento,

na linha do horizonte,

nas palmas das mãos,

ainda que não tenham linhas,

ainda que não contem histórias,

E aqui a história nasceu,

traçada pelos fios dos seus cabelos,

pelos fios de intenções incontadas,

pela linha, que liga intenção e gesto

pelo toque,

pelo cheiro,

do seu cabelo,

que como fera, se solta na madrugada,

entre meus dedos,

e esvoaça solto no ar,

no movimento do seu prazer,

da sua lascívia,

da sua libido louca e indomada,

Do gosto da sua boca,

Do seu segredo aberto e incontido,

Do rastro do seu perfume que fica,

Do cheiro da sua pele,

nos lençóis,

no meu corpo,

No meu rosto que brilha

do seu deleite,

Na minha lembrança inconfessável,

irrevelável,

Na saudade,

e na vontade de mais uma noite,

ou mais uma vez sentir seu cheiro,

e mais uma vez,

e outra, vez de novo...

Vera Celms

Um comentário:

  1. Passei também por aqui. Me lambuzei um cadinho. Beijo do Meia juba.

    ResponderExcluir