segunda-feira, 19 de abril de 2010

ESTA NOITE



Sei que pelo menos esta noite

Freqüento sua insônia, insistente,

Na sua lembrança excitada,

No contato do meu corpo,

No seu corpo,

No caminho que suas mãos percorreram

Sem tréguas, sem esconderijos,

Sem mistérios, pudores e sem alardes,

Sei que pelo menos esta noite

Continuo sendo sua,

No pensamento que insiste em mantê-lo em mim

Com doçura, com saudade,

No carinho que embalou nossa entrega,

Sem pudores, sem reservas,

Sem mascaras, sem nenhuma vergonha,

Sem mais adiamentos

Sem prazos, nem permissões,

Sem embustes, nem enganos,

Pelo menos esta noite

Passarei contigo,

Ainda que seja no seu pensamento,

Marginal, culpado ou não,

No seu corpo cansado, suado,

No seu despertar excitado

Tendo de disfarçar ou bancar

Mas, hoje mais uma vez, pensando em mim...


Vera Celms


Nenhum comentário:

Postar um comentário