domingo, 28 de março de 2010

TESO



Vem que estou pronta,

Meus suores,

Meu amor

Meus desejos são pra ti,

Infinitamente,

Ecoando o grito silenciosamente,

pelos caminhos da tua alma,

Com calma...

Com torpor,

Com o langor que o destino reservou,

Para seus olhos, seus sentidos,

Para seus gostos e paladares,

Para seus palpitares,

No mesmo lânguido torpor,

Manso, denso,

Largo e intenso

Teso ...

Como tudo o que vem de ti,


Vera Celms


sábado, 20 de março de 2010

BEM DENTRO



Beijo tuas palavras todas,

Uma a uma,

Cada intenção, cada sonho,

Cada linha ou entrelinha,

Cada menção,

Cada tom ou sobre tom,

Cada metáfora, cada deslize,

Cada anjo que se esconde,

Cada perversão que se mostra,

Beijo tuas palavras,

Pois saem da tua boca,

Do teu pensamento,

Do teu intencional,

Beijo então tua boca,

Como um Oasis,

No deserto dos meus sentimentos,

Quero suas palavras sobre meu corpo,

Quero seu corpo sobre meu corpo,

Quero suas palavras, aqui dentro de mim,

Fundo, bem fundo,

Até que se encontre sexo e pensamento,

No mesmo profundo de mim,

No âmago onde se formam as fantasias todas,

As imagens todas,

A languidez toda...

Antes, no murmurar,

Durante, o delirar,

E após, o enlouquecer...

Em brasas,

Sem ao menos um toque,

Mas em puro êxtase,

Sem hesitar...


Vera Celms



domingo, 14 de março de 2010

CALMO...



Amo a calma do seu amor,

Temperado, ardido, louco,

Dosado

Com a temperatura elevada na medida certa,

Mãos que acariciam,

Sentem, vasculham e exploram

Bem dentro, bem longe, bem em mim,

Alcance perfeito,

Ponto ideal,

Meio termo entre a levitação e a loucura,

Entregue as suas mãos,

ao seu corpo,

no profundo do seu abraço,

visão do paraíso completo,

Escalo o pico do meu prazer,

agarrada como uma alpinista,

medida exata,

Só precisava de mais tempo,

transcenderia varias vezes,

entre o êxtase e o nirvana,

Quero que me queira,

Tanto, tudo, e mais... muito mais...

Movimentos precisos para o deleite,

Soltos como a lembrança,

Como a saudade,

Como o desejo,

Como a necessidade de ficar mais um pouco,

De esquecer do resto,

De relevar a vida além de nós,

Amo a calma do seu amor,

Avisando o momento, num sussurro,

Preparando a flor da minha pele pra receber,

O que o seu corpo tanto guardou,

Tanto preparou,

Quero voltar as suas mãos,

Ter você além do sonho,

Além da miragem,

Além da aragem que passa pela porta,

Que atravessa meus cabelos,

Meu alvo dorso,

Trazendo seu cheiro,

A minha saudade,

Lembrando com gestos,

A medida do seu amor,

Liso, brilhante, majestoso,

Perfeito...

E meu... pela duração de um momento,

Ou de toda a eternidade...


Vera Celms


domingo, 7 de março de 2010

CAVALHEIRO



Lindo cavalheiro colonial,

Bela altura que me cobre,

Porte másculo que me arrebata

Claros bigodes,

Pele morena,

Sorriso secular,

Eterno olhar...

Sutileza,

Gentileza,

Destreza,

Nas mãos do másculo cavalheiro

Deslizava meu corpo

Sedento, faminto,

Suplicante...

Bastou um toque

Para que as defesas todas se entregassem,

Ao másculo cavalheiro

Não diz, relaxa

Diz, me aceita...

E, sutilmente

Gentilmente,

Destramente,

Meu corpo todo se deu mulher,

Todo seu...

Enquanto a alma cantava,

Cantarolava, assoviava, saltitava...

Levitava de contentamento e êxtase,

Seu corpo ali, era meu, só meu,

Sem pompa e sem convite

Sem rotulo, nem propriedade,

Sem laço e sem enlace

Corpos tomados,

De um só prazer

O que antes parecia feitiço,

Revelou-se magia...

O que antes era espera,

Hoje é saudade,

O que era te quero,

Agora, te quero mais...

E o cavalheiro másculo

Meu, por tanto tempo

Agora, para sempre,

Claros bigodes,

Pele morena...

Expressão madura

Me olhando,

Do alto da sua masculinidade

Enquanto pudermos amar...


Vera Celms