domingo, 31 de janeiro de 2010

DE REPENTE



Quero ser tormenta,

Que chega de repente

Em águas mansas...

Quero ser tempestade,

Que escurece, à sua vista,

O dia ensolarado...

Quero ser estrondo,

Que lhe rouba os sentidos

Em quietude intensa...

Quero surpreender,

Seu corpo,

Sua visão,

Seu sossego,

Sua lascívia,

Aparecendo, de repente

Diante do seu corpo excitado

Em qualquer lugar do seu dia,

Levando-o às ultimas conseqüências

No fervor da minha boca sedenta

Enlouquecida

E descontrolada...

Eu, somente, a sua frente,

Uma completa e irresistível alucinação...


Vera Celms


Um comentário:

  1. Lendo isso, fico com uma vontade danada. Um beijão pra ti, Leoa. Qualquer dia destes...

    ResponderExcluir