domingo, 30 de agosto de 2009

... DE PLABLO NERUDA



Plena mulher, maçã carnal, lua quente,

espesso aroma de algas, lodo e luz pisados,

que obscura claridade se abre entre tuas pernas?

que antiga noite o homem toca com seus sentidos?

Ai, amar é uma viagem com água e com estrelas,

com ar opresso e bruscas tempestades de farinha:

amar é um combate de relâmpagos e dois corpos

por um so mel derrotados.

Beijo a beijo percorro teu pequeno infinito,

tuas margens, teus rios, teus povoados pequenos,

e o fogo genital transformado em delícia

corre pelos tênues caminhos do sangue

até precipitar-se como um cravo noturno,

até ser e não ser senão na sombra de um raio.

Pablo Neruda


domingo, 23 de agosto de 2009

AQUELA QUE VOCÊ QUISER

Sou neste momento, aquela que você quiser,
Ou aquela que você mais quer...
Sou quem você precisar que eu seja,
Sou tua...
Estou pronta,
Disponível,
Sou do jeito que você mais gosta
Sou flexível, maleável,
Negociável se precisar
Sou aquela que em 05 minutos se transforma
Ou se delata,
Ou se esconde,
Ou se preciso, some...
Andarei por sobre as águas
No acostamento
Nas trilhas escuras dos seus caminhos
Sou aquela que aparecerá a um estalo de dedos seu
Sou famosa, sou brilhante,
Despercebida, distraída,
Ausente,
Incógnita, secreta,
Mutável
Anti-social
Zangada, brava,
Peça, e como um gênio da lâmpada,
A um toque da sua mão tomarei a imagem que mais lhe convém...
Te defenderei incondicionalmente
Ou fingirei nem te conhecer
Incondicional e eternamente sua.

Vera Celms

domingo, 16 de agosto de 2009

ESCONDIDINHO


De você escondo agora meus versos todos,

Mantenho meu desejo escondidinho

Nem para não alimentar teu sonho

Mas para não fazer crescer a fantasia,

Adoro provocar tua libido,

Adoro arrancar teus suspiros,

Te vejo desmanchar num toque

Chego a ouvir os teus gemidos,

Nada tens que eu tanto queira,

A menos o teu tesão,

Habitamos pólos opostos,

Você no extremo sossego,

Eu no excessivo agito.

Quem me dera se fossemos do mesmo mundo

Poderia então buscar de você motivos

Mas me custa refazer-te aos pedaços...

Te queria mais atiçado,

Mais aceso, mais volúvel,

Excitado, molhado, louco,

Mas, te custa tanto sair dos trilhos.

Vera Celms


domingo, 9 de agosto de 2009

CÉU DE ESTRELAS



Procuro, olho em torno,

Respiro; o perfume está no ar.

A pele denuncia.

O sonho fantasia.

Não adianta mais esconder com a mão,

Os olhos delatam um imenso céu de estrelas, indisfarçável.

O sorriso agora é um estandarte iluminado.

A inquietude está no peito, no colo e no transpirar.

Perto de você, respirar se torna difícil.

Mais fácil é levitar.

O desejo pulsa, ensurdece.

As mãos molhadas de suor agitam meus cabelos como uma bandeira.

Quero você.

Desejo você.

Não quero mais esconder,

Nem adiar,

Nem procurar desculpas.

Quero te buscar em devaneios e acordar nos teus braços,

Suspirando, lânguida,

Acariciando seus cabelos, seu corpo,

Quero confundir o meu suor com o seu,

E perder minha boca na sua.

Fundir o meu prazer no seu prazer.

Enlouquecer no toque dos teus dedos molhados do meu êxtase,

E retornar a consciência, pedindo mais.

Banhada de prazer e suor,

Permitindo pra sempre a fantasia em sonhos,

Quero você...


Vera Celms